Vendas em reação animam a Hyundai com novo leve


Vendas em reação animam a Hyundai com novo leve

 Em indefinido clima de que ‘vai faltar caminhão’, a Hyundai Caoa lançou em março o modelo leve HD 80

 Luciano Alves Pereira

Sua fábrica fica em Anápolis (GO) e o lançamento coincidiu com a apresentação na Europa de outro modelo seu, o Mighty. Este tem porte semelhante e propulsão elétrica. Foi desenvolvido pelo Hyundai Motor Group, sediado na Coreia. No Brasil, a Caoa já havia mostrado o HD 80 no ano passado, intencionada a festejar os dez anos de produção da Hyundai em Goiás. No entanto, preferiu aguardar o alívio da crise que atormentou o mercado em parte do ano passado. O HD 80 sucede ao leve HD 78 e exibe como uma de suas virtudes competitivas o preço igual a R$ 118,8 mil.

O Mighty, apresentado na Europa

A linha do novo produto requereu maquinários extras para aperto correto das rodas e eixos, rebitagem e pintura. O HD 80 está homologado para 8 toneladas de PBT, das quais descontada da tara  (chassi+carroceria/baú), sobram cerca de 4,5 t de carga útil.

O seu motor de quatro cilindros em linha é o FPT (Fiat Power Train) F1C, Euro 5/Proconve 7, de 3 litros de cilindrada e 170 cv de potência a 3.500 rpm. O torque máximo iguala a 40,8 mkgf (400 Nm) entre 1.500 rpm e 2.200 rpm, resultado do emprego de seu turbo de duplo estágio mais interculer, complementados pela alimentação via common rail da Bosch. Como tal, pôde adotar a tecnologia de pós-tratamento de gases expressa pela sigla EGR, aquela que dispensa a adição do reagente arla 32.

O câmbio segue a bandeirada geral com cinco marchas, conjugado com diferencial de 6,50:1. Um tanto reduzido, mas pensado para rodar dentro das entupidas áreas urbanas. Impossível, porém, não esperar por sua influência no consumo de combustível. A cabine é coerente. Simples para garantir barateza ao produto. É a mesma do antecessor HD 78, ancorada ao chassi por coxins de borracha, assistida por barra de torção. Na boleia podem seguir motorista mais dois acompanhantes, desde que não necessitem acomodar muitos objetos ao redor, porque há poucos porta-trecos disponíveis.

Quanto aos itens de segurança, o HD 80 cumpre a lei. Vem equipado com ABS, sem airbags. Já os freios de serviço são pneumáticos e as catracas (ajustadores) são automáticas para a progressiva regulagem das lonas de freio.

A marca anunciou como objetivo de vendas, 600 unidades neste ano. Para 2019, fala em 900. Na sua classe, o HD 80 dividirá o campo com disputantes tradicionais como o VW Delivery (líder de vendas), Ford Cargo 816 e F-4000, MB Accelo 815, além de modelos da Iveco e Agrale. Tanto faz. Em matéria de mercado de caminhões, o recente fenômeno do DAF, no segmento de pesados, está mostrando que surpresas não são frequentes, mas acontecem.

Source: Carga Pesada

Leave a comment