Avaliação: Jeep Compass 4xe é eficiente com preço alto


A hibridização está chegando para a maioria e o Jeep Compass S 4xe não é exceção, trazendo um conjunto híbrido plug-in com preço bem elevado.

Baseado na Série S, o SUV italiano — sim, ele vem de Melfi, Itália — traz o conjunto motriz já visto no irmão pernambucano, porém, com um adicional elétrico no eixo traseiro.

Assim, deixando de lado a tração AWD mecânica, o Compass 4xe (“four by e”, na pronúncia em inglês da Jeep), adota o propulsor elétrico de 60 cavalos e mantém o dianteiro com o 1.3 Turbo.

Abastecido apenas com gasolina, o SUV da Jeep oferece a tração nas quatro e promete ser muito econômico, mas veremos abaixo como isso funciona de fato.

O que não parece funcionar muito bem, logo de cara, é o preço elevado de R$ 349.990. Também veremos se agora ele compensa para quem busca desempenho e economia.

Por fora…

Visualmente, o Jeep Compass 4xe na série S não se diferencia tanto do modelo nacional, com exceção da cor Azul Shade, exclusiva do italiano. Também tem teto solar panorâmico.

As belas rodas aro 19 polegadas escurecidas, os faróis full LED com luzes diurnas em LED, mais os faróis de neblina e as lanternas traseiras, tornam ele igual ao nacional, mas há diferenças sim.

No teto, por exemplo, não há barras longitudinais como no brasileiro, mas retrovisores, teto e arco superior são pretos como no Série S de Goiana/PE.

Para notar mais diferenças, é necessário observar todos os emblemas, que possuem acabamento em azul, indicando a proposta híbrida do Compass S 4xe.

É importante notar que, mesmo não sendo um carro puramente a gasolina (ele também não é flex), o Compass 4xe mantém o vistoso escape duplo e outras coisas do modelo T270.

Por dentro…

Dentro, o ambiente é o mesmo do Compass nacional, mas os assentos em couro possuem costuras contrastantes, assim como o console com comandos próprios do 4xe.

O cluster digital tem apresentação e funcionalidades exclusivas, assim como o volante, que adiciona comandos referentes a isso. Contudo, não há paddle shifts na direção.

Há um bom carregador indutivo de smartphone e ar condicionado dual zone, assim como a multimídia com tela de 10,1 polegadas com Android Auto e CarPlay.

A tela da multimídia também apresenta cinco vistas do monitoramento em 360 graus, além do funcionamento do sistema híbrido e os ajustes para seu carregamento, bem peculiar.

Confortável, tem banco do motorista com ajustes elétricos, inclusive lombar, enquanto atrás, os passageiros possuem saídas de ar condicionado, para maior conforto.

O sistema de som da Alpine é ótimo, assim como o teto solar panorâmico e as conexões, incluindo USB-C, além de fontes de energia como a tomada de 127 volts no banco traseiro.

Já o porta-malas do Jeep Compass 4xe é um tanto raso, com estepe temporário, subwoofer da Alpine e acesso pelo banco traseiro, tendo 420 litros e tampa de acionamento elétrico com sensor.

Por ruas e estradas…

O Jeep Compass S 4xe é um híbrido plug-in (PHEV) que ainda tem “duas rodas presas” na versão comum e não estamos falando do esquema motriz propriamente dito.

Ele tem a proposta híbrida e pode até andar só com energia da bateria, mas se o dono quiser, pode esquecer disso tudo e rodar quase como o T270, inclusive bebendo como tal.

A questão é que, nesse caso, com trocas manuais e o ronco do GSE 1.3 Turbo, o Compass S 4xe não irá muito longe por causa de outro detalhe, que não apreciamos em carros PHEV.

Antes de chegarmos a isso, vamos ao esquema motriz, que combina o Firefly 1.3 Turbo do T270, com os mesmos 180 cavalos a 5.750 rpm e 27,5 kgfm a partir de 1.750 rpm.

Etanol? Esqueça, pois, ele vem da Itália e lá só se bebe o derivado de petróleo. Com ele, o Jeep tem um motor elétrico de 60 cavalos e 25,5 kgfm no eixo traseiro.

O arranjo é parecido com o dos carros PHEV da Volvo, mas difere muito no funcionamento. Ao iniciar, ele está no modo Hybrid, o Compass 4xe está com a bateria cheia (marca 50 km de alcance).

Pelo que diz o nome, Hybrid, o Compass 4xe deveria usar a bateria por um tempo e depois iniciar o carregamento e mesclar isso com o motor a combustão.

Todavia, ele vai e continua indo só com a energia da bateria. Pode até acelerar um pouco mais que ele mantém o motor elétrico empurrando.

Na cidade, assim ele vai até que a carga simplesmente zera e o motor 1.3 Turbo entra. Então, o que marcava 50 km/l cai para o consumo de um T270, chegando a fazer 6,5 km/l sob algumas condições.

Aí a coisa perde a graça quando o nível do combustível começa a descer vertiginosamente. Pode-se represar a energia recuperada para a bateria, mas isso vai demorar muito.

Apenas no modo Sport ou no e-Save a coisa muda um pouco, o que faz o motor carregar a bateria e reter a carga para um uso futuro. Interessante é que existe o modo Electric, com uso apenas da energia.

Na estrada, por exemplo, usa-se isso até 130 km/h, mas a autonomia de 50 km mal passa dos 30 km na realidade, dependendo muito de onde se está circulando.

E isso que nosso percurso é no litoral paulista, imagine em locais cheios de morros.

No dia a dia, com recarga em casa ou na rua, pode-se deixar o 1.3 Turbo de lado.

A conta da Jeep dá 25,4 km/litro no ciclo urbano, evidentemente usando bem mais a bateria e às vezes o motor, se ele se dispuser a trabalhar.

Colocando no modo Sport, o Compass 4xe faz jus aos 240 cavalos combinados, que segundo a marca, permitem ao SUV ir de 0 a 100 km/h em 6,8 segundos e com final de 206 km/h.

Na estrada, o Jeep marca 2.000 rpm a 110 km/h, mas há uma ajuda do elétrico com a bateria pedindo carga. Aliás, falando em giro, o Compass 4xe zerado de energia parece mesmo o T270.

Há seis velocidades que podem ser trocadas manualmente na alavanca, mas faltaram os paddle shifts, o que o colocaria ao lado do antigo Lexus NX híbrido.

Nota-se que o 1.3 Turbo empurra algo mais quando exigido, mas o elétrico alivia essa carga quando alimentado diretamente pela combustão, fazendo média em torno de 14,5 km/l na estrada.

Depende muito da condição de trânsito, da via e da carga a bordo para se obter uma boa condução. O ideal é reter parte da energia para ser usada em certas situações, como subidas de serra.

Recarregar o Jeep Compass 4xe, nesse caso, é uma obrigação, pois, apenas o 1.3 Turbo com alguma ajuda do elétrico e com bateria zerada não te leva muito longe.

São 36 litros que se vão rapidamente, por isso, é importante plugar o Jeep em casa ou na rua. No primeiro, é interessante o ajuste de carga do próprio carro.

Numa intensidade alta de amperagem, o carregamento pode derrubar a rede em caso de uso de muita carga, como ar condicionado, chuveiro e equipamentos de alta potência ligados na residência.

Caso seja num horário onde o consumo não esteja tão alto, pode-se colocar nesse modo mais alto, que permite recarga em 4 horas, mas no mínimo, chega-se a 20 horas.

O wallbox permite 100 minutos de carga (80%) rápida ou 9 horas em carga lenta (completa). O legal do carregador é o pino ser de 10 amperes, mesmo padrão das tomadas domésticas.

Pode-se programar dias da semana e horário para deixar o carro carregando. Mesmo em tomadas não aterradas, ele carrega tranquilo, o que é outra vantagem.

Além dos modos já mencionados, o Compass híbrido tem ainda Sand/Mud (areia/barro) e Snow (neve), além da frenagem regenerativa com menos uso do freio em dois níveis.

Isso acelera a recuperação de energia da bateria, especialmente em grandes aclives, ainda que se tenha que empurrar o carro no acelerador, consumindo energia.

Para um uso off road, ele traz 4×4 bloqueado, 4×4 com reduzida e controle de descida, tudo para que o Compass 4xe lembre o TD350 nacional.

Nisso, o 4xe mantém as tais “duas rodas” ou um dos pés, se preferir, no velho mundo… Ainda que no caso da tração AWD, não seja essa a intenção, pois, o off road sempre continuará.

Já em relação à dirigibilidade, com boa força, com o elétrico ajudando a empurrar ou mesmo sozinho — não pense que com apenas 60 cavalos ele se arrasta — o Compass 4xe anda muito bem.

A suspensão é bem equilibrada, como a do nacional, assim como os freios atuam com boa resposta. A direção elétrica também agrada, bem como o comportamento em curvas.

Bem dimensionado para rodar no Brasil, mesmo com rodas aro 19 polegadas, o Jeep Compass 4xe revela a mesma pegada do nacional e ainda tem o pacote ADAS completo.

Com isso, na estrada, ele está de olhos nos carros, nas faixas e tudo mais, garantindo uma viagem agradável e segura.

Por você…

O Jeep Compass S 4xe é um carro bem completo e, com exceção dos paddle shifts para as tais trocas manuais, pede apenas alguns itens a mais para compensar seu elevado preço.

Um deles é memória para o assento do condutor, assim como ajuste elétrico para o passageiro. No mais, tem muita coisa, como estacionamento automático, por exemplo.

As barras no teto não fazem falta, mas ajudariam no visual, enquanto o cluster apresenta opções de visualização de várias informações, sendo mais versátil que o das versões comuns.

Tem carregador doméstico que não precisa de adaptador, indicador de carga luminoso no processo, que pode ser visto à distância e uma boa mescla de opções de condução.

No mercado, porém, agora ele sofre a concorrência direta do Tiggo 8 Pro Plug-in Hybrid montado por aqui, que custa R$ 80.000 a menos, tem 77 cavalos a mais e ainda 7 lugares.

Ainda assim, em termos de produto, o Jeep Compass não está no topo do mercado por acaso e seus atributos são bem conhecidos, mesmo com uma proposta diferenciada. Vale? O que você acha?

Medidas e números…

Ficha Técnica do Jeep Compass S 4xe 2022

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 4 em linha, turbo

Cilindrada – 1.332 cm³

Potência – 180 cv a 5.750 rpm (gasolina)

Torque – 27,5 kgfm a 1.750 rpm (gasolina)

Elétrico (traseiro) – 60 cv a 0 rpm

Elétrico torque – 25,5 kgfm a 0 rpm

Transmissão – Automática de 6 marchas com mudanças na alavanca

Potência combinada – 240 cv

Torque combinado – 53,5 kgfm

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 6,8 segundos

Velocidade máxima – 206 km/h

Rotação a 110 km/h – 2.000 rpm

Consumo urbano – 25,4 km/litro (gasolina)

Consumo rodoviário – 24,2 km/litro (gasolina)

Suspensão/Direção

Dianteira – McPherson/Traseira – Multilink

Elétrica

Freios

Discos dianteiros e traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga leve aro 19 com pneus 235/45 R19

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.404 mm

Largura – 1.819 mm (sem retrovisores)

Altura – 1.645 mm

Entre eixos – 2.636 mm

Peso em ordem de marcha – 1.908 kg

Tanque – 36 litros

Porta-malas – 420 litros

Preço: R$ 349.990

Jeep Compass S 4xe 2022 – Galeria de fotos


















































 

Notícias Automotivas

Leave a comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.